segunda-feira, junho 07, 2004

Assim não, vão gozar com o...

Se a alguém cabia o direito de se divorciar era a nós, os eleitores. Mas não, ainda nos estava reservada uma surpresa (que, honestamente, já não surpreende ninguém).

Antes que pudéssemos mostrar qualquer réstea de desagrado por uma ou outra medida governamental, pela ausência de oposição ou pelas desastradas manobras intentadas por quem nos representa no Parlamento, a classe governante e a aspirante a governar saíu à rua já de costas voltadas e olhando-nos sobranceira, de lado. O enfado de quem melhor estaria no green, no court, no lux ou no raiosopartiça é mais do que motivo para dizer: "no domingo vou estar ocupado, tenho uns amigos lá no quintalito para comer umas farinheiras e uns coiratos que a minha sogra me mandou pela carreira".

As magras excepções não me satisfazem. E a cobertura mediática (como muito bem disse Pacheco Pereira) também escapa à minha inocente e pouco afável compreensão.

Um abraço e até logo

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial