quinta-feira, abril 01, 2004

O blog, os leitores e os amigos dele

A propósito do meu desabafo sobre a morte, que passaria incólume pela agenda do mundo, um grande amigo envio-me este mail que passo a reproduzir:

"Como sabes, e porque as nossas discussões são quase fracticidas, sou céptico por natureza, muito descrente no Homem e na sua História. Este "triste" facto, que me acompanha desde que penso a Política, leva-me a ser conservador nas opiniões e a considerar que a evolução do Homem, da Sociedade e da Civilização é uma coisa lenta, feita de pequenos passos, pequenas reformas. Não tenho ilusões. O Homem é assim, o Mundo é assim e a caminhada da História dificilmente se fará de outra maneira. Isto impede-me de sonhar com um mundo melhor, principalmente quando falo de política e das relações entre os Estados. Tudo isto vem a propósito da questão do Médio Oriente e do conflito Israel/Palestina. É obvio que a ocupação israelita é ilegal e injusta. Que o povo palestiniano tem sofrido décadas de humilhações. E, acima de tudo, que a morte de crianças inocentes é uma tragédia inqualificável. Mas agora pergunto eu, e se puderes reflecte sobre isto. Quem é que recusou vários acordos de paz? Quem é que utiliza o terrorismo como arma, matando indiscriminadamente homens, mulheres e crianças? Quem manipula crianças e jovens atirando-os para a frente de tanques e canhões a arremessar pedras, tornando-os alvos fáceis das forças de segurança israelitas? Ou achas que eles "vão para ali" porque não têm mais nada para fazer? Quem utiliza homens e mulheres bomba? Que organizações políticas fomentam a cultura do martírio, do amor à morte, do suicídio e sei lá mais o quê, em troca do paraíso e das 72 virgens (será que as bombistas tb têm 72 homens virgens?)? É com esta gente, esta cultura, esta forma de encarar a vida que estamos a falar. Tu respondes que é o desepero, a falta de perspectivas de vida, a injustiça que leva a toda esta situação. Ao fim ao cabo está a vencer a cultura do olho por olho, dente por dente. Por mim, digo-te que é falta de bom senso dos dirigentes palestinianos que está a levar o seu povo à desgraça. É preciso realismo para se conseguir atingir os objectivo de libertação da Nação, que deverá, com toda a justiça, levar à criação de um Estado Palestiniano. Olha para o caso de Timor e faz a comparação. E já não falo do facto de achar que o Islão é uma civilização medieval e falhada (frase de Vasco Pulido Valente) mas essa é outra história... fixa esta ideia. Em minha opinião, o sucesso dos EUA, e do Ocidente em geral, advém do sistema Democrático e do Rule of Law."

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial