segunda-feira, julho 28, 2008

A folha branca é como um convite a foder entre a caneta e as palavras. Um prazer que consigo antecipar entre as mandíbulas, os nervos a distenderem-se entre as carnes do dorso já arqueado para além de qualquer domínio humano.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial