terça-feira, dezembro 18, 2007


A propósito de arroz de carqueja


Acabei de correr meia hora até à Praça de Londres, subi para a Culturgest, depois até ao Campo Pequeno, meti para a 5 de Outubro, depois a Avd de Berna e back home pela Conde Valbon e João Crisóstomo (acho) até ao parque infantil da Casa da Moeda e down até casa, tudo monitorixado pelo coraçãometer da Aptonia.

Mas bom bom era um arroz de carqueja assim tipo como no Cortiço lá da terreola, coisa de resultar em coisa que davam uma boa entrada na revista de blogs da origem das espécies. Mas melhor era deitar cá para fora o cabrão do livro que me atormenta há ano e meio.

Isto de escrever sofre-se mais do que as grávidas. As senhoras pranhes andam nove inevitáveis meses com a coisa e quer queiram quer não a coisa inevitavelmente (ou não) lá se vai desenvolvendo até à oclusão (sem brincadeira) do caso.

Com um livro é diferente. Esta merda anda cá dentro, destrói mais de metade da capacidade do disco rígido e da memória ram e se queremos que saia cá para fora temos de fazer por isso, que isto não anda para a frente a cada ecografia se não for à força de dar ao dedo.

cumraiosopartiça

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial